Friday, 18 August 2017

Friday, 11 August 2017

Porque normalmente só se recebe a hóstia (pão consagrado) na Missa?

Próximo video: Comunhão na língua VS Comunhão na mão.



Partilhem! Obrigado.

Trento, Sessão XXI, parte I e II http://agnusdei.50webs.com/trento26.htm
Referencias biblicas: Lucas 22; Marcos 14; Mateus 26; 1 Corintios 11 (instituição da eucaristia); João 6:30-66; 1 Corintios 4:1
Instrução de 2004 da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, "Redemptionis Sacramentum", par.100 http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/ccdds/documents/rc_con_ccdds_doc_20040423_redemptionis-sacramentum_po.html

Instrução Geral do Missal Romano, par.281 e 283 http://www.liturgia.pt/docs/igmr_43.php#01

Wednesday, 9 August 2017

Papa Francisco: "É triste que alguns católicos se achem perfeitos e desprezem os demais"

O perdão como motor da esperança foi o tema central da catequese do Papa Francisco em uma nova Audiência Geral na qual recordou que a Igreja é formada por pecadores e criticou que alguns cristãos acham que são perfeitos e desprezam os demais.
“Os pecadores são perdoados. Não somente ficam aliviados a nível psicológico porque são libertados do sentido de culpa. Jesus faz muito mais: oferece às pessoas que erraram a esperança de uma vida nova, uma vida marcada pelo amor”, disse o Santo Padre.
“Penso em tantos católicos que se acham perfeitos e, por isso, desprezam os outros. Isso é triste. Nos faz bem pensar que Deus não escolheu como primeiro massa para formar sua Igreja as pessoas que não erravam nunca. A Igreja é um povo de pecadores que experimenta a misericórdia e o perdão de Deus. Desde o início do seu ministério público na Galileia, Jesus se aproxima dos leprosos, dos endemoninhados, dos enfermos e dos marginalizados. Um comportamento assim (naquela época) não era nada habitual; tanto é verdade que esta simpatia de Jesus pelos excluídos, pelos ‘intocáveis’, será uma das coisas que mais desconcertarão seus conterrâneos. Jesus vê uma possibilidade de ressurreição também em quem acumulou tantas escolhas erradas. A Igreja não se formou por homens irrepreensíveis, mas por pessoas que puderam experimentar o perdão de Deus. Pedro aprendeu mais sobre si mesmo quando percebeu, ao canto do galo, que tinha renegado seu mestre, do que quando se mostrava superior aos demais com seus ímpetos e formas espontâneas. Também Mateus, Zaqueu e a Samaritana, apesar de suas faltas, receberam do Senhor a esperança de uma vida nova a serviço do próximo. Nós que estamos acostumados a experimentar o perdão dos pecados, talvez a bom preço, deveríamos também recordar quanto custou o amor de Deus. Jesus não vai à cruz porque cura os enfermos, porque prega a caridade, porque proclama as bem-aventuranças. O Filho de Deus vai à cruz, sobretudo, porque perdoa os pecados, porque quer a libertação total, definitiva do coração do homem".
O Santo Padre também explicou que Jesus “não aceita que o ser humano consuma toda a sua existência com esta ‘tatuagem’ incancelável, com o pensamento de não poder ser acolhido pelo coração misericordioso de Deus. Somos todos pobres pecadores, necessitados da misericórdia de Deus que tem a força de nos transformar e nos dar esperança a cada dia” e, “às pessoas que entenderam esta verdade básica, Deus presenteia a missão mais preciosa do mundo, ou seja, o amor pelos irmãos e irmãs, e o anúncio de uma misericórdia que Ele não nega a ninguém”.


Isto sim, foi uma excelente despedida de solteira!

... com adoracao ao Santissimo! Cliquem no link abaixo e leiam:
http://www.acidigital.com/noticias/viral-despedida-de-solteira-com-adoracao-ao-santissimo-inspira-casais-catolicos-18829/


Tuesday, 25 July 2017

És mesmo catolico? Assiste a este video americano (c/legendas).

Partilhem! Obrigado.

Jenny está sendo julgada por ser católica. O Ministério Público acha que tem um caso bastante fácil, até que o advogado de defesa de Jenny finalmente aparece e apresenta um argumento muito convincente de que ela não é. E você, é católico?

Thursday, 13 July 2017

O simbolismo da mistura de água com o vinho eucarístico

Proximo video: Como os celíacos e os alcoólicos em recuperação podem comungar?

Partilhem! Obrigado.

Referencias no video: 2 Macabeus 15:39; Proverbios 9:1-5; Papa S.Alexandre I, S.Clemente de Alexandria, S.Justino Martir, St.Irineu de Leao, S.Cipriano de Cartago;  João 19:34; 1*carta de S.João 5:6; 3:3-5; 2:1-10; Exodo 17; 1 Cor.10:4; 2 Cor.11:2; 5:27; Ap.19:9; 21:5; Filip.1:6.

Friday, 7 July 2017

Papa: "Temos de reconhecer que somos todos pecadores"

Partilhem! Obrigado.

O Papa Francisco afirmou que os cristãos, ao contrário dos fariseus, não devem ter vergonha de ser pecadores, pois “Jesus veio para chamar os pecadores, não os justos e, portanto, reconhecer-se imperfeitos “dá a oportunidade de que Jesus venha nos buscar”.
O Santo Padre fez esta declaração durante a homilia da Missa que celebrou hoje junto como os trabalhadores no centro industrial do Vaticano, quando afirmou que “Jesus sabe o que é o trabalho, compreende-o bem”.
O Papa refletiu sobre o Evangelho do dia, que narra a vocação do apóstolo Mateus. Francisco recordou que Mateus era um publicano que foi encarregado de cobrar os impostos dos romanos. Era considerado um traidor, entretanto, Jesus o chama: Jesus escolheu “um apóstolo... , entre todas as pessoas, escolheu o pior”.
O Santo Padre recordou que quando se hospedava na Via della Scrofa, “gostava de ir à Igreja de São Luís dos Franceses para admirar um quadro do Caravaggio, ‘A conversão de Mateus’, no qual o apostolo estava grudado no dinheiro e Jesus o indicando com o dedo. Ao ver isso, os fariseus, que se consideravam ‘justos’, julgavam todos e diziam: ‘Por que seu mestre come com eles?’. Jesus diz: ‘Eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores’”.
Francisco reconheceu: “Isto me consola muito, porque penso que Jesus veio para mim porque somos todos pecadores; todos temos este diploma. Cada um de nós sabe bem onde peca mais, onde está a sua fraqueza. Antes de tudo, temos que reconhecer isso: nenhum de nós que estamos aqui pode dizer ‘Não sou pecador’. Os fariseus diziam assim e Jesus os condena. Eram soberbos, vaidosos, se achavam superiores aos outros. Mas somos todos pecadores: é a nossa láurea e também a possibilidade de atrair Jesus a nós. Jesus vem até nós, vem a mim porque sou pecador”.
O Papa concluiu sua homilia, insistindo que “nossa consolação e nossa confiança é que Ele perdoa sempre, cura nossa alma sempre, sempre”.

Para a Eucaristia: vinho ou sumo de uva? Mais: Mormonismo e o alcool.

Próximo video: O simbolismo da adição de água no vinho eucarístico.

Partilhem! Obrigado.
Referências no video: 1 Corintios 11:20-22; João 2; Papa S.Alexandre I, S.Clemente de Alexandria, St.Irineu de Leão, S.Justino Mártir, S.Cipriano de Cartago; Mormonismo - livro Doutrina e Convênios, 89.

Friday, 30 June 2017

Tabaco, alcool e drogas

Partilhem! Obrigado.

CATECISMO DA IGREJA CATOLICA
§ 2290: A virtude da temperança manda evitar toda espécie de excesso, abuso da comida, do álcool, do fumo e dos medicamentos. Aqueles que, em estado de embriaguez ou por gosto imoderado pela velocidade, põem em risco a segurança alheia e a própria, nas estradas, no mar ou no ar, tornam-se gravemente culpáveis.
§ 1809: A temperança é a virtude moral que modera a atracção dos prazeres e proporciona o equilíbrio no uso dos bens criados. Assegura o domínio da vontade sobre os instintos e mantém os desejos nos limites da honestidade. A pessoa temperante orienta para o bem os apetites sensíveis, guarda uma sã discrição e não se deixa arrastar pelas paixões do coração.
§ 2291: O uso de droga causa gravíssimos danos à saúde e à vida humana, constituindo falta grave (excepto por aplicacoes estritamente terapeuticas).
§ 1487: Quem peca fere a honra de Deus e seu amor, sua própria dignidade de homem chamado a ser filho de Deus e a saúde espiritual da Igreja, da qual cada cristão é uma pedra viva.

BIBLIA
1 Pedro 4:3 No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos. Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante.
Galatas 5:19-21 Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.

Angelo Giuseppe Roncalli (futuro Papa S.Joao XXIII) fumando

Friday, 23 June 2017

Ideologia do Corpo: selfies, modéstia, dietas, operações cosméticas, tatuagens e piercings

Partilhem! Obrigado. Algumas leituras biblicas para reflectir: Levitico 19:28; 1 Pedro 3:3-4; 1 Corintios 10:31; 6:19-20; 8:9; Romanos 12:1-2; 14:21; Galatas 5:17; Proverbios 16:2

VIDEO RECOMENDADO para tambem verem:

CATECIMO DA IGREJA CATOLICA

#2289 - "Se a moral apela para o respeito à vida corporal, não faz desta um valor absoluto, insurgindo-se contra uma concepção neopagã que tende a promover o culto do corpo, a tudo sacrificar-lhe, a idolatrar a perfeição física. Em razão da escolha seletiva que faz entre os fortes e os fracos, tal concepção pode conduzir à perversão das relações humanas."; 

#908 - "Por sua obediência até a morte, Cristo comunicou a seus discípulos o dom da liberdade régia, "para que vençam em si mesmos o reino do pecado, por meio de sua abnegação e vida santa". Aquele que submete seu próprio corpo e governa sua alma, sem deixar-se submergir pelas paixões, é seu próprio senhor (é dono de si mesmo): pode ser chamado rei porque é capaz de reger sua própria pessoa; é livre e independente e não se deixa aprisionar por uma escravidão culposa";

#2523 - "Existe um pudor dos sentimentos, como existe o do corpo. O pudor, por exemplo, protesta contra a exploração do corpo humano em função de uma curiosidade doentia (como em certo tipo de publicidade), ou contra a solicitação de certos meios de comunicação ir longe demais na revelação de confidências íntimas. O pudor inspira um modo de viver que permite resistir às solicitações da moda e à pressão das ideologias dominantes.";

#364 - "Unidade de corpo e de alma, o homem, por sua própria condição corporal, sintetiza em si os elementos do mundo material, que nele assim atinge sua plenitude e apresenta livremente ao Criador uma voz de louvor. Não é, portanto, lícito ao homem desprezar a vida corporal; ao contrario, deve estimar e honrar seu corpo, porque criado por Deus e destinado à ressurreição no último dia."

Thursday, 15 June 2017

O Papa e os Bispos querem que todos os jovens façam este questionario

Tens menos de 29 anos e queres dizer algo sobre Igreja Catolica ou algo particular ao Papa e aos Bispos? A Igreja te convida (sejas catolico ou nao) a participar neste questionario e a dar as tuas opinioes para o proposito do proximo Sinodos de Bispos que se realizara' no proximo ano. O questionario encontra-se online nas seguintes linguas: portugues, espanhol, frances, italiano e ingles.

Cliquem: https://survey-synod2018.glauco.it/limesurvey/index.php/147718

PARTILHEM! OBRIGADO.

|Monólogo no meu pátio| - "Formando a futura igreja"

Partilhem! Obrigado.

Friday, 9 June 2017

O que realmente Jesus quis dizer com "Não julgueis"

Artigo original: https://padrepauloricardo.org/blog/nao-julgueis?mc_cid=a317dbab1e&mc_eid=04581f0c37

Meu video sobre o assunto: http://pecadorevangelizador.blogspot.ca/2016/04/o-julgar-os-outros.html

Partilhem! Obrigado.

É impressionante como algumas pessoas que raramente lêem a Bíblia são rápidas no gatilho na hora de citar um versículo bíblico quando discutem com cristãos: "Não julgueis" ( Mt 7, 1).
Essa frase é utilizada muitas vezes para calar-nos e impedir-nos de tocar em questões morais. "Você não deve dizer aos outros o que é certo ou errado! Afinal de contas, Jesus disse: 'Não julgueis!'"
A Bíblia, porém, refere-se ao julgamento de diferentes maneiras. Antes de mais nada, nós nunca deveríamos julgar a alma de outra pessoa. É isso o que Jesus critica ao dizer: "Não julgueis." Somente Deus sabe em que condições espirituais as pessoas se encontram e como elas se relacionam com Ele.
Por outro lado, ao mesmo tempo que nos proíbe julgar os outros, Jesus não nos diz que é pecado usar a inteligência para discernir o certo do errado. De fato, a Bíblia nos exorta a formar bons e sábios juízos a respeito de muitas coisas na vida. São Paulo, por exemplo, diz que "o homem espiritual julga todas as coisas" (1Cor 2, 15).
O problema é que muitas pessoas têm medo de dizer que algo é moralmente errado porque não querem parecer "intransigentes", "sentenciosas", e nós precisamos ajudá-las a perceber que há uma grande diferença entre fazer um julgamento moral, por um lado, e julgar a alma de alguém, por outro.
Ora, eu posso usar a minha inteligência para fazer um simples julgamento? Se percebo que está chovendo, formulo o seguinte juízo: "Tenho de levar o guarda-chuva"; se, pelo contrário, estiver nevando, julgo de outra maneira: "Preciso me agasalhar". Devo ser considerado um "preconceituoso sem coração" por fazê-lo? É claro que não; Deus me deu uma inteligência, e quer que eu a utilize.
De modo parecido, posso usar a minha razão para fazer um julgamento sobre as ações de outras pessoas? Se eu vir a minha filhinha correndo em direção à rua, posso julgar assim: "Isso não será bom para ela, porque talvez seja atropelada"? Se eu o fizer, não estarei dizendo que minha filha é uma pessoa horrível, condenada ao fogo do inferno; estarei apenas observando que ela está prestes a fazer algo que lhe pode ser prejudicial.
Mas sigamos em frente. Posso usar a minha inteligência para avaliar as ações morais de outra pessoa? Suponhamos que haja uma jovem universitária que tem-se deitado com um rapaz depois do outro. Posso empregar minha razão e julgar: "Isso não é bom para ela"? Posso fazer o seguinte julgamento: "Ela não vai ser feliz se continuar vivendo assim, pois nunca encontrará o amor duradouro que tanto deseja. Ela foi feita para algo melhor do que isso"? É claro que posso!
Mas não nos esqueçamos: fazê-lo não é julgar a sua alma. Ela pode muito bem estar fazendo algo objetivamente errado; mas eu, em todo caso, não tenho acesso à situação pessoal dela perante Deus. Não conheço o seu passado, a sua vida, as suas mágoas. O estado de uma alma aos olhos de Deus é algo reservado apenas a Deus e a essa alma. O Catecismo da Igreja Católica explica como diversos fatores podem entrar em jogo nas decisões livres do homem de tal maneira que a sua culpabilidade pode ser diminuída e limitada (cf., por exemplo, CIC, § 1860).
Só Deus enxerga o quadro inteiro. Talvez essa moça venha de uma família mal estruturada e nunca tenha vivido um amor autêntico; talvez tenha sido abusada; talvez lhe tenham ensinado que isto, fazer sexo casual, significa "ser uma mulher livre e autônoma". Essa jovem não precisa que eu a condene ao inferno; ela precisa conhecer o amor de Deus, a sua misericórdia e os planos que Ele tem para a vida dela.
Ao mesmo tempo — e isto é imprescindível —, se eu me importo verdadeiramente com ela, não deveria dizer-lhe algo sobre o modo como tem vivido? Se ela fosse, por exemplo, uma amiga próxima ou até mesmo um parente, não deveria falar-lhe dessas coisas?
Eu não estaria julgando a sua alma — isso é algo entre ela e Deus. Mas amar é querer o bem do outro, buscar o que é o melhor para a outra pessoa; e se eu realmente a amo, não haverá prova maior desse amor do que procurar endireitá-la, mostrar-lhe o bom caminho.
Eu devo, é claro, ser prudente, falar no tempo e do modo conveniente, com fina delicadeza, humildade e compaixão. Mas ficar sentado de braços cruzados, sem nunca compartilhar com ela a verdade, não é por certo uma grande prova de amor. É como se eu visse a minha filha de dois anos a ponto de tocar a boca quente do fogão e lhe dissesse: " Olha, eu não faria isso; mas não quero julgar. Faça o que a fizer feliz".
Imagine ainda que a minha filha, que ainda não sabe falar, está prestes a jogar-se na piscina e eu lhe digo: "Bom, se é o que deseja fazer… Eu, pessoalmente, não o faria; mas não quero lhe impor minhas opiniões. A vida é sua". Seria isso um gesto de amor? Evidentemente não.
Essa postura nos revela mais uma tragédia do relativismo moral: ele nos impede de amar as pessoas. Ele pode tornar-nos indiferente às necessidades das pessoas que Deus colocou em nossa vida. Em vez de tratar com amor e solidariedade os irmãos que vemos tropeçar na vida, fazemo-nos apáticos e desentendidos. Imitamos o exemplo de Caim, que disse: "Sou porventura eu o guarda de meu irmão?" (Gn 4, 9). Isso não é amor.
Saiamos logo da cultura do relativismo e mostremos mais amor às pessoas que fazem parte de nossa vida, partilhando com elas a verdade. 

O Grande Cisma do Oriente (1054)

Partilhem! Obrigado.
Divisao da Cristandade após o Cisma de 1054. Em laranja são os territórios leais a Roma; a azul são os territórios leais a Constatinopla; a roxo salienta região adeptas do Bogomilismo, uma seita gnóstica cristã.
Papa Paulo VI e Patriarca Ecumenico Atenagoras em 1964.
Papa Francisco e Patriarca Kirill (Patriarca de Moscovo e Primado da Igreja Ortodoxa Russa) em 2016.
Encontro com Bartolomeu I, Patriarca Ecumenico de Constatinopla, em 2014. Este foi o primeiro Patriarca Ortodoxo a participar numa investitura papal em Roma desde do Grande Cisma.

Thursday, 1 June 2017

O cisma que dividiu catolicos e ortodoxos orientais

Proximo video: O Grande Cisma do Oriente.

Partilhem! Obrigado.
Francisco e Tawadros II (Egito, 2017)

Friday, 26 May 2017

O lado menos conhecido (e desconcertante) de Martinho Lutero

Proximo video: A divisao entre Catolicos e Ortodoxos orientais no seculo V.

Partilhem! Obrigado. Referencias:

#1- Carta a Melacnchton (1 de Agosto de 1521)
#2- "Conversas 'a Mesa" ["Thrishreden"], edicao Weimer; Vol.2, pag.107
#3- "Erlangen", Vol.2, pag.126
#4- "De Wette", Vol.4, pag.188
#5- Denifle's Luther et Lutheranisme", traducao de J.Paquier (Paris, A.Picard, 1912-13); Vol.3, pag.47
#6- "Escravidao da Vontade", redacao; "Martinho Lutero: Selecoes de seus Escritos", de Dillenberger (Anchor Books, 1962; pag.190)
#7- "Erlangen", Vol.24, pag.294; "Conversas a' Mesa"; "Makers of the Modern World", pag.25
#8- "Sobre os Judeus e Suas Mentiras", traducao de Martin H. Bertram (Fortress Press, 1955)
#9- "Lutero", de Hartam Grisar; Vol.5, pag.413
#10- "De Wette", Vol,2, pag.459
#11- "Here I Stand: A life of Martin Luther", de R. H. Bainton; pag.153-55; "Facts Against Luther", de Patrick O'Hare; pag.89
#12- "Facts Against Luther", de Patrick O'Hare (TAN Books, 1987; pag.201)

Martinho Lutero em Wittenberg

Saturday, 13 May 2017

Papa Francisco canoniza os pastorinhos de Fátima a santos

Cliquem no link azul abaixo (video da Missa incluido) :

TEXTO: Homilia do Papa na Missa de canonização dos pastorinhos de Fátima: O Papa Francisco presidiu no átrio do Santuário de Nossa Senhora de Fátima a Missa de canonização dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, as crianças que em 1917 foram testemunhas das aparições da Virgem nesta localidade portuguesa.

Partilhem! Obrigado. S.Francisco Marto e Sta.Jacinta Marto, rogai por nos!


Friday, 12 May 2017

Jesus "catolico" VS Jesus "protestante"

Partilhem! Obrigado.

Vejam este video dum pastor protestante brasileiro (Edir Macedo) admitir que e' a favor do aborto a todos na igreja:
Depois de assistir ao video anterior, veja este! Reflexao dum padre catolico:

Sunday, 16 April 2017

A nossa Vigilia Pascal 2017

Cliquem nas imagens para ampliação

 Pia Batismal


 Ambão
 Icone de Maria e Menino Jesus
 Vela e roupa batismal + Cirio pascal
 Benção do fogo
Lucernarium
Batismo de imersão
Banquete as 05:00 da manhã.

Thursday, 13 April 2017

Testemunhas de Jeová: "Cristo morreu numa estaca, não numa cruz!"

Proximo video: O coelhinho da Pascoa.

Partilhem! Obrigado. Abaixo da imagem, toda a informacao prometida no video.

Video e websites recomendados:

Importantes referencias ditas no video:
- Edicoes de 1950 e 1969 das Biblias das Testemunhas de Jeova ("Traducao Novo Mundo");
- Obra "De Cruce Liber Primus", de Justus Lipsius (Sec.XVI);
- Guerras Punicas (264-146 a.C.)
- Grafite de Alexamenos (artefato historico, sec.I-III);
- Passagens biblicas: Mateus 27:37; Joao 20:25; 21:18-19.

Relatos da Igreja primitiva
"A forma da cruz tem cinco extremidades: duas na vertical, duas na horizontal, e uma no meio onde a pessoa pregada se encontra." 
(St.Irineu de Liao, Contra Heresias, Livro II, Cap. 24; sec.II)

"[O Espirito] descreve a cruz (tou staurou) a   Moisés (cf. Êxodo 17: 8-12)... Por causa de seus pecados, o Espírito fala ao coração de Moisés para fazer uma representação da cruz (tupon stauron), e daquele que deve sofrer, porque, diz ele, a menos que eles confiam nele, sofrerão a guerra para sempre. Moisés, pois, colocou um escudo sobre o outro no meio da luta, e ali, erguido acima deles [combatentes], estendeu suas mãos (exeteinen tas kheiras), e assim Israel começou a ser vitorioso; sempre que os deixava cair, começavam a perecer."
(Epistula de Barnabas 12:1-2, sec.I).

"O profeta Isaías, inspirado pelo Espírito, disse: "Eu estendi as minhas mãos para um povo que não crê e contradiz, aos que andam por um caminho que não é bom. E agora me vêm pedir julgamento e têm a ousadia de aproximar-se de Deus". E outra vez, por meio de outro profeta, diz com outras palavras: "Eles transpassaram meus pés e minhas mãos, e lançaram sorte sobre a minha roupa". Na verdade, Davi, rei e profeta, que disse isso, não sofreu nada disso, mas Jesus Cristo estendeu as suas mãos quando foi crucificado pelos judeus que o contradiziam e falavam que ele não era o Messia
(Justino Martir, sec.II; 1 Apologia 35, 3-6). 

"Estendi as minhas mãos para santificar o meu amor, / Para a extensão das minhas mãos é o seu signo: / E minha expansão como a árvore é uma cruz reta (σταυρός)".
(Odes de Salomao, ode 27; sec.II)

"Moisés, estendendo as duas mãos, orou a Deus por ajuda. Ur e Arão o assistiram o dia inteiro para que não se cansasse e deixasse cair as maos aos seus lados. Se Moisés desistisse daquela figura, que era uma figura da 'stauros', o povo seria derrotado (como o próprio Moisés testifica). Mas enquanto ele permaneceu naquela posição, Amalek foi derrotado, e os fortes tiraram sua força da 'stauros' ... enquanto o nome de Jesus estava na frente de batalha [em Josué], Moisés formou o sinal da 'stauros'."
(Justino Martir, sec.II; Dialogo com Trifao, 90). 

"O cordeiro que foi ordenado a ser inteiramente assado era um símbolo do sofrimento da cruz (σταυρός) que Cristo sofreria. Para o cordeiro, que é assado, assume a forma da cruz (σταυρός). Pois um espeto é atravessado pelas partes inferiores até a cabeça, e um pelas costas, à qual estão ligadas as pernas do cordeiro".
(Justino Martir, sec.II; Dialogo com Trifao, 15)

"O Verbo, preanunciando por meio do profeta Isaías os acontecimentos futuros – os profetas são tais porque anunciam os acontecimentos futuros – assim se exprime: “O Senhor Iahweh abriu-me os ouvidos e eu não fui rebelde, não recuei. Ofereci o dorso aos que me feriam e as faces aos que me arrancavam os fios da barba; não ocultei o rosto às injúrias e aos escarros”. Então, por força “da obediência”, [o Verbo] anulou a antiga desobediência consumada sobre a árvore. Ele mesmo é o Verbo de Deus onipotente, que, no estado de invisibilidade, se difundiu no universo inteiro, que o abraça em comprimento, largura, altura e profundidade. Todas as coisas, de fato, são governadas e administradas pelo Verbo de Deus. Nessas dimensões, foi crucificado o Filho de Deus já impresso sobre o universo em forma de cruz; fazendo-se visível, manifestou a universalidade de sua cruz, demostrando claramente, na forma visível, a sua atividade consistente na iluminação da altura, ou seja, os meandros da terra, na extensão do Oriente ao Ocidente, no governo como um comandante da região do Oeste e da amplitude do Sul, e no chamado ao conhecimento do Pai de todos os homens dispersos." 
(St.Irineu, sec.II; Demonstração da pregação apostólica, 34). 

"Você pendura cristãos em cruzes (crucibus) e estacas (stipitibus); É sobre um patibulum que são consagrados pela primeira vez os corpos de seus deuses".
(Tertuliano, sec.II; Apologetica, 12). 

"Assim, estando enraizados e fundados no amor, poderemos compreender com todos os santos o que é a respiração, o comprimento, a altura e a profundidade, isto é, a cruz do Senhor. Sua largura é significada pelo feixe transversal em que as mãos são estendidas; o comprimento do chão daquela barra transversal é onde o corpo inteiro das mãos para baixo é prendido; a altura, desde a barra transversal até o topo que está perto da cabeça; a profundidade é aquela parte que está escondida, afundada na terra."
(St.Agostinho, sec.V; De Doctrina Christiana, 2) 

"E, aproximando-se e estando junto à cruz, começou a dizer: Ó nome da cruz, mistério oculto! Ó graça inefável que se pronuncia no nome da cruz! Ó natureza do homem, que não pode ser separado de Deus!"
(Atos de Pedro 37, sec.II).

Historiadores
- Marcus Licinius Crassus (115 a.C.-53 d.C.) crucificou 6000 pessoas [cf. Plutarch, Vida de Crassus, capitulo XI];
- Tacitus (56-120 d.C.), historiador romano, descreveu que:
(1) a estaca ('crux') poderia ter patibulum ou furca (barra transversal)
(2) as vitimas carregavam o patibulum ate ao lugar de sua execucao
(3)as vitimas esticavam seus bracos sobre o patibulum na cruz (estaca)
(4) os cristãos romanos foram martirizados em cruzes flamejantes durante a perseguição de 64 d.C. 
(cf. Annais 15.44; 4.72, 14.33; Historia, 4.3). 

- Titus Livius (59 a.C.- 17 d.C.), historiado romano, falou de pessoas serem crucificadas;
 
- Plínio, o Velho (23-79 d.C.) referiu à crucificação anual de cães perto do templo da Juventas, fazendo-os afixados a uma 'furca fixi' (parece com a letra Y) [cf. Historia Naturalis, 29.14.57)

Outros:
Lactantius: De Mortibus Persecutorum, 2; Divinis Institutionibus, 6.17;
Dionysius de Halicarnassus: Antiquidades Romanas, 7.69.1-2).
Origenes: Comentario ao Genesis, 3; 
Eusebio: De Theophania, 5.31; Historia Eclesial, 2.25.5;  
Seneca: De Consolatione 20.3; De Vita Beata, 19.3; De Ira, 1.2.2; Epistula, 14.5, 101.10-14; Fragmenta, 124];
Plautus Persa: Miles Gloriosus, 359-360; Mostellaria, 55-57, 359-360; Carbonaria, fr. 2.

Reflexao do Papa Francisco
VATICANO, 04 Abr. 17 / 10:05 am- O Papa Francisco fez uma reflexão sobre a Cruz e como é usada, muitas vezes apenas como um ornamento, e pediu para dar-lhe a importância que merece porque somente se recebe a salvação aceitando-a.
“A salvação vem somente da cruz, mas esta Cruz é Deus feito carne. Não há salvação nas ideias, não há salvação na boa vontade, no desejo de ser bons... não. A única salvação está em Cristo crucificado, porque somente Ele, como a serpente de bronze, foi capaz de tomar para si todo o veneno do pecado e nos curar”.
“Mas, o que é a cruz para nós? Sim, é o sinal dos cristãos, é o símbolo dos cristãos. Nós fazemos o sinal da cruz, mas nem sempre o fazemos bem; porque não temos fé na cruz. Outras vezes, para algumas pessoas, é um distintivo de pertença: ‘Sim, eu uso uma cruz para mostrar que sou cristão’. É bom isso, mas não só como distintivo, como se fosse de um time”.
O Papa recordou a primeira leitura do dia: “Deus disse a Moisés: Quem olhará para a serpente será curado”. Jesus diz a seus inimigos: “Quanto tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que eu sou”. “Quem não olha para a cruz assim, com fé, morrerá nos próprios pecados, não receberá a salvação”.
“Hoje, a Igreja nos propõe um diálogo com este mistério da cruz, com este Deus que se fez pecado por amor a mim. E cada um de nós pode dizer: ‘Por amor a mim’. E podemos pensar: Como eu uso a cruz? Como uma recordação? Quando faço o sinal da cruz tenho consciência do que faço? Como levo a cruz? Somente como um símbolo de pertença a um grupo religioso? Como uma decoração? Como uma joia, com pedras preciosas... de ouro?”. 
“Aprendi a levá-la nas costas, onde machuca? Cada um de nós, hoje, observe o Crucifixado, olhe para este Deus que se fez pecado para que nós não morramos nos nossos pecados e responda a estas perguntas que acabei de sugerir”.
“Morrer no próprio pecado é algo ruim”, assinalou o Papa ao mencionar como o povo de Israel estava no deserto e não suportava o caminho, por isso, “se afasta do Senhor” e “fala mal do Senhor e de Moisés”.
Então chegam as serpentes que mordem e provocam a morte. O Senhor pede a Moisés que faça uma serpente de bronze e a coloque como sinal sobre uma haste: quando alguém era mordido e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.
A serpente é o “símbolo do diabo”, “o pai da mentira”, “o pai do pecado, que fez a humanidade pecar”.
Jesus recorda: “Quando eu for elevado, todos virão a mim”. “A serpente de bronze curava”, mas “era sinal de duas coisas: do pecado cometido pela serpente, de sua sedução, de sua astúcia; e também era sinal da cruz de Cristo. Era uma profecia”.

Saturday, 8 April 2017

Exame de consciência

Partilhem! Obrigado.
Video recomendado "Es boa pessoa?": http://pecadorevangelizador.blogspot.ca/2014/02/proximo-video-bento-xvi-o-seu.html

Especialista: " Católicos, não se envergonham da Inquisição"

Partilhem! Obrigado.
A docente, filóloga e doutora em literatura Maria Elvira Roca Barea gerou um intenso debate após a publicação de um livro no qual explica as “lendas negras” instaladas em alguns períodos da história, como a Inquisição Espanhola.
Em uma entrevista à Diocese de Málaga, a autora de “Imperiofobia e leyenda negra” (“Imperiofobia e lenda negra”), que não professa nenhum credo, recomendou aos católicos não terem um sentimento de culpa pela Inquisição que, embora tenha existido, foi uma “pequena instituição que nunca teve a capacidade de influenciar decisivamente na vida dos países católicos e da Espanha”.
“O mecanismo da lenda negra funciona sempre não com uma mentira absoluta, o que se diz costuma ser verdade. O que acontece é que se magnifica e se cala todas as outras coisas”, ressaltou a ex-professora da Universidade de Harvard e pesquisadora do Conselho Superior de Pesquisas Científicas da Espanha.
A autora acrescentou que esse sentimento de culpa que permanece até hoje surgiu no século XVIII após o período do Iluminismo, quando “os intelectuais espanhóis começaram a assumir como verdadeira essa versão da história que diz que a Espanha teve culpa por todas as guerras de religião”.
Na verdade, precisou, alguns grupos geraram nas pessoas a crença de que foi “a intolerância religiosa dos católicos, com a Espanha na liderança, que causou essas guerras e que justifica todas as atrocidades que aconteceram na Europa nos séculos XVI e XVII, etc.”.
Roca Barea acrescentou que, a partir deste momento, novos intelectuais converteram aquela visão na versão oficial da história espanhola, que é “assumida por eles como verdade”.
Os erros sobre a Inquisição Espanhola
Entretanto, a especialista indicou que naquele tempo a intolerância no tema da religião foi “o modo de pensar de todos”, por isso, dizer que nesse sentido os espanhóis foram intolerantes por causa da Inquisição “é a falsidade de todas as falsidades”.
“O que devemos ver é de que modo era controlada essa intolerância religiosa em cada local e, desde o princípio, foi muito mais civilizada e mais compreensiva no lado católico e logo na Espanha”, acrescentou.
A especialista citou como exemplo a Inglaterra ou os principados luteranos protestantes no norte da Europa, onde as perseguições foram “horríveis”.
“Aparte – continuou – todo o fenômeno de caça às bruxas, absolutamente demente, que causou milhares de mortes. Isso não aconteceu no mundo católico e nem na Espanha porque existia a Inquisição, que evitou aquelas barbaridades”.
Roca Barea disse que a Inquisição católica foi “uma instituição muito organizada, muito mais regulamentada do que qualquer outra em seu tempo e na qual a religião continuava sendo tema de religião e não do Estado”.
“Tratava-se de delitos que ainda hoje são tais, como por exemplo, os que eram conhecidos como delitos contra a honestidade: o lenocínio, a pedofilia, o tráfico de pessoas, a falsificação de moedas e documentos... Tinha um campo muito amplo de trabalho”.
Rocha Barea revelou que “todas e cada uma das sentenças de morte” que foram assinadas na Espanha foram “muito bem documentadas” nos estudos como os do professor Contreras ou o de dinamarquês Henningsen.
“A Inquisição julgou cerca de 44.000 casos entre 1560 e 1700, causando a morte de aproximadamente 1340 pessoas. E essa é toda a história. Calvino colocou 500 pessoas na fogueira em apenas 20 anos por heresia”, detalhou.
Igreja Católica deve se defender
Por outro lado, a autora manifestou os católicos não “podem ter” esta atitude de “perder a batalha cultural”.
“Deve reagir, porque não é prejudicial apenas para os católicos, crentes ou não crentes, mas para o mundo que a Igreja Católica gerou”, acrescentou.
A especialista disse que “a religião católica foi responsável por conquistas muito importantes, coisas muito boas que fez pelo mundo e pela sociedade”. “Por que não ensina esse lado de si mesma que é lindo e que mereceria ser mais conhecido?”.
“Embora eu não seja crente, levo os meus filhos na catequese e tenho as minhas discussões com o sacerdote do bairro. Digo-lhe: ‘Vamos acabar sendo os agnósticos e ateus de boa vontade os que limparemos o nome da Igreja, porque vocês tem uma passividade absolutamente incompreensível’”, enfatizou Roca Barea.
Finalmente, a especialista também criticou aqueles que pensam que agir contra o catolicismo é sinônimo de “modernidade”, porque não percebem que estão “matando” a si mesmos, “sendo crentes ou não crentes”.
“Porque você está renegando o seu passado e os seus antepassados e essas são as bases que nos sustentam. E sem eles, desabamos. E se nós desabamos, outros ficarão em cima”, concluiu.

Video viral dum conselho vindo do Papa a jovens sobre o Crisma

Em sua recente visita à cidade italiana de Carpi, na província de Modena (Itália), o Papa Francisco parou o veículo e conversou com um grupo de jovens entusiasmados e lhes deixou um conselho importante sobre o Sacramento do Crisma.

Partilhem! Obrigado.

Wednesday, 29 March 2017

Vives lamentando sempre? O Papa tem uma palavrinha para ti...

Partilhem! Obrigado.
VATICANO, 28 Mar. 17: Ao comentar o Evangelho do dia em que Jesus cura um paralítico, o Papa Francisco disse que há muitas pessoas que vivem sempre tristes, lamentando-se de tudo e afetados pela preguiça, mas, se querem ser “curados”, só têm que escutar Jesus.
Na Missa desta manhã na Casa Santa Marta, explicou que Jesus pergunta ao doente: “Quer ficar curado?”. “É belo, Jesus sempre nos diz ‘Quer ficar curado? Quer ser feliz? Quer melhorar a sua vida? Quer estar cheio do Espírito Santo? Quer ficar curado?’ É a palavra de Jesus. Todos os outros que estavam ali – doentes, cegos, paralíticos – disseram: ‘Sim, Senhor, sim!’”.
“Mas aquele homem, estranho, respondeu a Jesus: ‘Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente’. Sua resposta é uma lamentação: ‘Veja, Senhor, como é ruim e injusta a vida comigo. Todos os outros podem entrar e se curar e eu tento há 38 anos, mas não acontece nada’”.
O Papa explicou que “era como a árvore plantada nos braços de um rio, como diz o primeiro Salmo, ‘mas tinha as raízes secas’ e ‘as raízes não tocavam a água, não podiam extrair saúde das águas’”.
“Isto se entende pelo comportamento, pelas lamentações... sempre tentando dar a culpa ao outro: ‘Mas são os outros que vão antes de mim, eu sou um coitadinho que está aqui há 38 anos’. Este é um pecado feio, o pecado da preguiça, que é pior do que ter o coração morno, bem pior”.
“É viver, mas ‘viver sem vontade de ir avante, de fazer alguma coisa na vida; é perder a memória da alegria. Este homem não conhecia nem de nome a alegria, a havia perdido. Isto é pecado, é uma doença muito ruim. ‘Mas eu estou bem assim, me acostumei. A vida foi injusta comigo’. Sente-se o ressentimento, a amargura do seu coração”.
Então Jesus lhe disse: “’Levanta-te, pega a tua cama e anda’. O paralítico se cura; mas era sábado, os Doutores da Lei lhe dizem que não lhe é permitido carregar a cama e lhe perguntam quem o havia curado naquele dia. ‘É contra a lei, este homem não é de Deus’”.
O paralítico “se levantou com a preguiça de quem vive porque o oxigênio é grátis”. “Daqueles que vivem sempre vendo que os outros são mais felizes e vivem na tristeza”, esquecendo-se da alegria.
“A preguiça – continuou – é um pecado que paralisa, que nos deixa paralíticos, que não deixa caminhar. Hoje também o Senhor olha por todos nós; todos temos pecados, mas vendo este pecado, nos diz: ‘Levanta’”.
“Hoje o Senhor diz a cada um de nós: ‘Levanta, pega a tua vida como ela é: boa, ruim, como for, pegue-a e vá adiante. Não tenha medo, vai adiante, com a tua cama’. Mas Senhor, não é do último modelo’. ‘Vai avante! Com a cama ruim, mas avante! É a sua vida e a sua alegria! ‘Quer ser curado?’, é a primeira pergunta que o Senhor nos faz hoje. ‘Sim, Senhor’. ‘Levanta’. E na antífona, no início da Missa, havia aquele trecho tão bonito: ‘Vós, que tendes sede, vinde às águas – são grátis, não há pagamento –. Vinde e bebei com alegria’”.
“E se dissermos ao Senhor ‘Sim, quero ser curado; sim, Senhor, ajuda-me porque quero me levantar’, saberemos como é a alegria da salvação”.

Tuesday, 28 March 2017

Tudo sobre abstinência de carne ás 6ª-feiras


Partilhem! Obrigado.
Importantes referencias expressas no video:
-Codigo do Direito Canonico de 1983, canons 1250-1253;
-Os 5 preceitos/mandamentos/leis da Igreja;
-Versiculos biblicos >> Mateus 6:16-18; 9:14-15; 16:19; 18:18; Actos 13:1-3; 14:23;
-Constituicao Apostolica de Paulo VI (1963) "Paenitemini" [parte III];
-Documento do 1*seculo da Igreja "Didaque" [cap.8].