Monday, 8 January 2018

Papa condena o bullying escolar: “É obra de Satanás”

Partilhem! Obrigado.
Em sua homilia na Missa celebrada na Casa Santa Marta nesta segunda-feira, 8 de janeiro, o Santo Padre assinalou que o bullying, como toda violência contra os mais fracos,  é “uma das manchas do pecado original”, “porque isto é obra de Satanás, agredir o fraco. O que existe dentro de nós, que nos leva a desprezar, a maltratar, a ridicularizar os mais fracos? Compreende-se que alguém se ofenda com quem é mais forte: pode ser a inveja que te leva (a isso)... Mas e os mais fracos? O que existe dentro (de nós) que nos leva (a isso)? É algo que é corriqueiro, como se eu tivesse a necessidade de desprezar o outro para me sentir seguro. Como uma necessidade..."
Assinalou que até mesmo entre as crianças ocorre isso e compartilhou uma lembrança de infância, quando vivia em seu bairro uma mulher que tinha uma doença mental que a levava a caminhar sem parar pela rua durante todo o dia. As mulheres tentavam ajudá-la dando-lhe comida, mas as crianças a seguiam para se divertir às suas costas. “Quanta maldade nas crianças! Ofender os mais fracos!”.
Explicou que “Da mesma forma que, quando temos um bom desejo de fazer uma obra boa, uma obra de caridade, dizemos ‘é o Espírito Santo que me inspira a fazer isto’, quando nós nos damos conta que temos dentro de nós este desejo de agredir alguém porque é fraco, não duvidemos: o diabo está ali. Porque isto é obra do diabo, agredir o fraco”.
O Papa finalizou sua homilia pedindo a Deus “que nos dê a graça da compaixão”.

Monday, 25 December 2017

Fotos do nosso Natal 2017

Cliquem nas imagens para ampliar...

5 GERACOES...
TRADIOCIONAL DIA DE FAZER BOLACHAS E DOCES
PRESEPIO INSUFLAVEL EM FRENTE DA NOSSA CASA
COROA DO ADVENTO
PRESEPIO DENTRO DE CASA
CRUZ FEITA POR FRANCISCO ROBERTO PEREIRA (LAJES)

Tuesday, 19 December 2017

Papa critica quem não está aberto a ter filhos, "é obra do demônio".

Partilhem! Obrigado
Ao comentar o Evangelho da liturgia do dia, o Papa Francisco criticou os países onde a natalidade é baixa e disse que é o resultado do engano do demônio.
Na Missa que celebrou na Casa Santa Marta, o Pontífice recordou que o primeiro mandamento de Deus foi o de “povoem a terra, sejam fecundos”. E afirmou que “onde há Deus, há fecundidade”.

“Vem-me à mente (...) alguns países que escolheram o caminho da esterilidade e sofrem esta doença tão feia que é o inverno demográfico. Nós os conhecemos. Não se fazem filhos por causa  do bem-estar,  pro causa disso, por causa aquilo... países vazios de crianças e isso não é uma bênção. Mas isso é uma coisa passageira. A fecundidade é sempre uma bênção de Deus”, acrescentou.
Nesse sentido, advertiu que “o diabo quer a esterilidade. Quer que cada um de nós não viva para dar vida seja física, seja espiritual aos outros. Viva para si mesmo: o egoísmo, a soberba, a vaidade. Engordar a alma sem viver para os outros. O diabo é quem faz crescer a cizânia do egoísmo e não nos faz fecundos”.
Francisco expressou que é uma graça ter filhos e falou do Natal: “Aqui tem um berço vazio, podemos observar. Pode ser símbolo de esperança porque virá uma criança, pode ser um objeto de museu, vazio toda a vida. O nosso coração é um berço. Como está o meu coração? Está vazio, sempre vazio, mas está aberto para receber continuamente vida e dar vida? Para receber e ser fecundo? Ou será um coração mantido como um objeto de museu que jamais estará aberto à vida e a dar a vida?”.